Author: Bárbara

É possível viajar, ir de férias, viver fora e ao mesmo tempo manter um estilo de vida saudável? Como fazer uma alimentação saudável enquanto viajas? Vamos descobrir! Viajar, passear, férias! Quem não adora? Explorar o mundo, conhecer novas realidades, conhecer novas pessoas, conhecer melhor quem somos. Significa sair do conforto e amar o desconforto, o desconhecido. Descobrir novas paisagens, novas paixões. E para tudo isto, há algo que temos de quebrar, algo que temos de deixar para trás, e que em muitos pode criar alguma comichão. Do que estou a falar? Da nossa ROTINA. Para nos perdermos no mundo e nos encontrarmos mais a nós mesmos, precisamos de quebrar uma certa rotina que temos enraizada e que nos é tão confortável. E agora? Sem a nossa rotina? Como conseguimos manter os nossos hábitos saudáveis? Sem o nosso ginásio a quinze minutos de carro? Sem o nosso mercado para comprar produtos frescos todos os dias? Sem a nossa hora de almoço certinha com a refeição naquele tupperware? E sem lancharmos duas horas certinhas, depois? Conseguimos manter o nosso estilo de vida saudável sem a nossa rotina diária? SIM CONSEGUIMOS!!! Porque na verdade ter um estilo de vida saudável é muito mais que essa rotina! E isso é o primeiro ponto que temos de ter na nossa mente: Se somos saudáveis numa parte do mundo, conseguimos sê-lo no resto do mundo. E isto é certinho como o destino (não estivéssemos nós a falar de destinos!). Ser saudável e ter um estilo de vida saudável não significa que não possamos experimentar um prato novo de vez em quando, não significa que não possamos atrasar ou adiantar o exercício físico do final da tarde para vermos um lindo e espetacular pôr-do-sol. Bem pelo contrário, ser saudável é também saber aproveitar tudo, o que de incrível, o mundo tem para nos oferecer! Conseguimos ser saudáveis sem as nossas clássicas papas de aveia de manhã e sem o nosso ginásio ao final do dia? Sim, claro que conseguimos! Como? Para explicar melhor, darei o meu exemplo: Quando vim para Moçambique toda a gente me dizia a mesma coisa ao chegar: Prepara-te para engordar, Bárbara!. Claro que eu estava assustada! Não pela parte de engordar, mas por, eventualmente, não conseguir manter o meu estilo de vida saudável. Sabia que não ia ter o meu ginásio, mas sou uma pessoa motivada e focada e decidi logo que teria de arranjar um método para manter a minha rotina,

Foi ao Nutricionista e tem um Plano Alimentar a seguir para perder peso? Ótimo, já está a começar num bom caminho. Agora o que tem a fazer é forcar-se no seu objetivo, não o deixe para segundo plano NUNCA. Ele faz parte de si agora, esse plano é você! Ficam assim 4 dicas simples para que o sucesso desse Plano Alimentar seja mais facilmente alcançado: Pratique Atividade Física- Se acha que vai perder peso só com uma alimentação saudável está bastante enganado. Alimentação Saudável e a Prática de Atividade Física estão sempre ligadas. Alcançar o seu peso ideal, depende de ambas! Há várias formas de o começar a fazer, é uma questão de experimentar várias atividades e praticar a que lhe dá mais prazer. (Motive-se aqui ) Escreva – Tenha sempre consigo um caderninho onde vai apontado tudo o que vai comendo, faça um Diário Alimentar. Aponte TUDO. Este caderno é seu e só seu, por isso, sem vergonhas, aponte tudo aquilo que vai comendo ao longo do dia. Desta forma, vai conseguir ter uma ideia clara dos seus erros e dos seus sucessos. Lembre-se que são os erros que nos fazem perceber aquilo que temos de alterar, não tenha medo de errar! Não tenha medo de escrever que comeu mais do que devia ao almoço, porque só assim vai conseguir perceber aquilo que o está a impedir de alcançar o sucesso. Para além de anotar aquilo que consome, anote também aquilo que vai sentido, escreva frases de motivação para si próprio e escreva aquilo que o fez começar VÁRIAS VEZES. Aprenda a ler rótulos – Aprenda a ler rótulos para fazer escolhas inteligentes (aprenda aqui). Só assim vai conseguir cumprir um plano alimentar com prazer. Não precisa de comer o que não gosta, e não tem de deixar de comer o que mais gosta. Pelo menos, não de uma forma radical. Podem ser feitas escolhas inteligentes no supermercado, se souber como ler o rótulo de um produto alimentar. Por falar em supermercados, lembre-se: desembale menos e descasque mais & NUNCA vá às compras com fome. Transforme-se – Não mude, transforme-se. As mudanças acabam por desaparecer. As transformações permanecem. Altere aquilo que acredita, aquilo que você é. Não diga estou em dieta, transforme sim os seus hábitos alimentares. Não espere atingir um objetivo para poder voltar ao que era! O seu objetivo não é um peso. O seu objetivo é uma transformação, naquilo

Em Moçambique estamos no tempo da BATATA DOCE (Ámem!!!!) e por isso hoje trago-vos uma receita de panquecas de batata doce super simples, rápida e saborosa. De hora a hora vem alguém à minha porte vender Batata Doce, por isso, aliado ao facto de eu AMAR Batata Doce, é um alimento que neste momento não falta cá por casa. Uma vez que esta semana a farinha de grão de bico ( com que eu costumava fazer as minhas panquecas de fim-de-semana) ganhou uns bichinhos e teve de ir para o lixo, hoje tive de me por a inventar uma nova receita! Já tinha lido algumas receitas em blogs de Panquecas de Batata Doce, mas todas tinham alimentos que eu não tenho por casa (nem a menos de 200Km de distância) por isso, decidi experimentar uma junção de alimentos que me "soaram" bem juntos e até resultou em algo saboroso. Receita (super simples, como manda a lei de vivência em Moçambique): -60g de Batata Doce; -1 ovo; -1 colher de iogurte natural. Juntar os ingredientes e triturar. Levar à frigideira 1 a 2 minutos cada lado e estão prontas as panquecas mais simples de batata doce! Hoje foi o meu pequeno-almoço, amanhã podia ser o meu jantar! E esta é uma das razões pelas quais eu AMO Batata Doce. É um alimento super versátil, que tanto serve para acompanhamento das refeições principais, como pode ser usado em mini lanches ou, neste caso, ao pequeno almoço! É de baixo Índice Glicémico, o que quer dizer que a sua absorção é lenta (deixando-o saciado durante mais tempo), é rica em fibras, vitaminas e minerais. Experimentem e digam-me que tal!

Neste artigo vamos falar sobre que é o Mindful Eating e sete hábitos para te alimentares de forma mais consciente. Quem já se deu conta de que muitas vezes projeta emoções na alimentação? E que isso o pode levar a momentos de alimentação compulsiva e inconsciente? Mindful eating é o termo utilizado quando queremos falar sobre alimentação com consciência, com atenção plena ao que temos no nosso prato. A alimentação é muito mais do que aliviar a sensação de fome. Muito mais do que aliviar a sensação de tristeza ou dor. Antes de mais, serve para nutrir o nosso organismo. O seu objetivo principal é dar ao nosso corpo aquilo que ele necessita. Leia bem, aquilo que ele necessita! Não aquilo que ele pede, porque muitas vezes achamos que o nosso organismo pede coisas e que por isso lhe devemos fazer a vontade, e nem sempre é assim! “Estou mesmo a precisar de um doce!” – Quantas vezes já pensou isto? E será que precisava mesmo? Acha mesmo que as suas células estão a pedir açúcar para funcionar? Ou será que é o seu cérebro a pedir consolos emocionais? É importante saber controlar a busca de compensação emocional na alimentação. É preciso encontrar mecanismos que nos façam saber gerir a nossa inteligência emocional de forma a não a projetar nos alimentos e para isso temos de ter consciência, muita consciência, no ato da alimentação. 1- Comer lentamente – O primeiro, e talvez o mais importante hábito a ser modificado é a velocidade com que se alimenta. Leve tempo para se alimentar, saboreie a comida com calma. Desta forma, dará tempo suficiente ao seu cérebro para reconhecer que já está cheio e que não necessita de mais comida. 2- Aprenda a reconhecer quando está realmente com fome – Muitas vezes olhar para um bolo no café achamos que de repente ficamos com fome. Será que ficamos? Aprenda a entender quando está de facto com fome. Lembre-se que é importante alimentar-se mesmo antes de “estar a morrer de fome”, por isso oiça o seu corpo e responda às suas reais necessidades que lhe serão alertadas de formas individuais. Aprenda a reconhecer os seus sinais pessoais de fome. 3- Desenvolva ambientes saudáveis de refeição – Quem já almoçou com uma mão no volante e a outra dividida entre as mudanças e uma sandes? Muitas vezes o stress do dia-a-dia leva-nos a não termos tempo para nos sentarmos e apreciarmos o tempo

Vais de férias para a neve e não sabes como vais fazer com a tua alimentação? Ficas com algumas dicas sobre como podes fazer uma Alimentação Saudável na Neve! Estamos na altura das incríveis semanas, passadas em família ou com amigos, desde Andorra à Serra Nevada, dos Alpes Franceses ou até aos destinos mais longínquos como as generosas montanhas dos Estados Unidos, as estâncias estão cheias de esquiadores iniciantes, que entre uma ou outra espargata tentam encontrar o equilíbrio em cima dos esquis. Ou de riders experientes que passam a 100 km/h e salpicam neve naqueles, que como eu, passam o dia de rabo no chão! São das férias mais completas, pois pode-se passar tempo de qualidade com a família e amigos, e ao mesmo tempo ainda se apanham uns raios de sol, ar fresco na Natureza e pratica-se muita atividade física. Por esta última, a importância de manter uma alimentação adequada torna-se imprescindível para estas semanas. A atividade física praticada na neve tem exigências especiais por parte do nosso organismo devido a vários fatores como a altitude em que são praticados os desportos de neve, a temperatura, a exposição solar, e o esforço físico do organismo por parte do sistema muscular, das articulações, sistema respiratório e sistema cardiovascular, o que leva a uma necessidade maior de hidratação e energia. Para além da alimentação adequada a ter durante o dia nas pistas (onde o almoço está incluído), também se deve manter uma alimentação adequada fora das pistas: tanto ao pequeno-almoço como ao jantar, pois são momentos que garantem o aporte de energias necessárias para os dias passados a praticar desporto. Muitas vezes estas refeições já vêm incluídas na estadia e por isso, devido à impossibilidade de confecionar os seus próprios pratos, podem ser cometidos alguns erros. Assim, deixo aqui algumas dicas que o vão ajudar a manter uma alimentação saudável e adequada para suas férias na neve, de forma a tirar o melhor proveito do seu dia na pista: - Hidrate-se! - Este é um ponto muito importante. Beba muita água, a desidratação pode ser um fator de risco para acidentes e consequentes lesões na neve. Não dando jeito levar uma água consigo na mão, opte por andar com uma mochila com uma garrafa de água ou então tenha o hábito de ir parando nos cafés/restaurantes ao longo das pistas para se manter hidratado. Os chás quentinhos também são uma boa opção nesta altura. Mas cuidado, não opte

Booooom dia e bom fim-de-semana a todos! O meu fim-de-semana começou com estas panquecas com farinha de grão e banana! Super deliciosas. Todos os dias quando abro o meu instagram vejo mil e uma receitas de panquecas ótimas que me fazem espumar da boca e morrer de inveja das meninas que estão em Portugal e que tem acesso a produtos todos-mega-fancy para fazer aquelas panquecas! Como aqui em Moçambique não existem esses produtos limito-me a não poder elaborar receitas todas-mega-fancy!!! ACHAVA EU

O que é e como acelerar o metabolismo? Encontra a reposta a estas questões neste artigo! O que é o Metabolismo? O metabolismo é o termo usado para designar todas reações químicas que acontecem às substâncias no interior do nosso organismo. Existem dois tipos de reações:  as de degradação (catabolismo) e as de construção (anabolismo) de moléculas. Estas reações são reguladas por enzimas, que trabalham consoante as necessidades do organismo humano e do ambiente em que este está inserido. São importantes para o crescimento, manutenção e regeneração dos tecidos e órgãos do corpo. Por isso, o metabolismo é essencial para o equilíbrio do nosso organismo. Pode-se dar a degradação de moléculas mais complexas em moléculas simples (reações catabólicas), por exemplo quando se transforma gordura em energia ou quando há necessidade de destruir tecido muscular para obter energia. Por outro lado, podem-se produzir novas substâncias quando há necessidade de serem construídas novas estruturas (reações anabólicas) como a formação de músculos a partir das substâncias provenientes da nossa alimentação. Nas reações catabólicas dá-se a libertação de energia enquanto nas reações anabólicas dá-se o consumo de energia: O metabolismo difere de pessoa para pessoa e depende de vários fatores como a idade, o sexo, o peso, o ambiente, a alimentação e a atividade física diária. Posto isto há pessoas que conseguem gastar ou consumir mais ou menos energia e por isso é que há quem tenha um metabolismo mais ou menos “acelerado”. Quando o metabolismo é “acelerado” significa que o organismo tem uma “maior” capacidade de utilizar as moléculas armazenadas para obter energia e por isso há um maior gasto energético do que em organismos que têm um metabolismo mais “lento”. Deve estimular o seu metabolismo para que o seu organismo tenha a capacidade de gastar mais energia para as suas atividades diárias (metabolismo "acelarado"), o que desta forma ,ajudá-lo-á a atingir um peso saudável adequado pois irá "queimar mais calorias". De que forma pode estimular o metabolismo? - Praticando atividade física diariamente e não estar mais de uma hora sentado como está indicado no artigo "20 regras para seres mais saudável

Quando vamos ao supermercado, como podes saber se o que estás a comprar é saudável e adequado a ti? Fazendo a correta leitura do rótulo! Mas, como ler o rótulo dos alimento? Vamos ver quais os 10 passos para aprender! Esté é um tema, que felizmente acredito ser importante para os dias de hoje, em que podemos observar que há cada vez mais pessoas curiosas e interessadas em seguir um estilo de Vida Saudável. Desta forma, torna-se necessário a interpretação correta daquele que é o “Cartão de Cidadão” dos produtos alimentares que adquirimos. “Devo comprar a embalagem azul ou a amarela?”, “A marca mais saudável é a y ou a x?” Saber responder a estas questões sozinho, será mais um passo no caminho da aquisição de um estilo de vida saudável, com uma alimentação feita em escolhas inteligentes. Por isso, apresento 10 passos para que, quando vá ao Supermercado, saiba analisar os alimentos que vai comprar e consumir: 1-Prazo de Validade: Em primeiro lugar deve sempre verificar o prazo de validade de um produto. É a primeira indicação da qualidade do produto que está a adquirir. 2- Lista de ingredientes: Em relação à lista de ingredientes deve saber que esta está apresentada por ordem decrescente, isto é, apresenta os alimentos que tem em maior quantidade para os que tem em menor quantidade. E por isso, o que tem a fazer nestas alturas? Claro! Deve evitar levar aqueles cujos primeiros ingredientes sejam Sal, Gorduras (Óleos) ou Açucares (glicose, galactose, sacarose, maltose, lactose, frutose, dextrose, xarope de açúcar invertido). 3- Porção: A Tabela Nutricional normalmente apresenta sempre os valores nutricionais em 100 g de produto e numa dada porção, que é quantidade média do alimento normalmente consumida. Quando faz comparações entre produtos lembre-se de verificar sempre na mesma quantidade, uma vez que todos apresentam os valores por 100 g, faça a comparação sempre nesta parte da tabela. 4- Valor Diário Recomendado: Verifique a percentagem que uma porção tem de Valor Diário Recomendado de nutrientes, que tem a sigla de VD % ou DR%. Esta percentagem é baseada no valor diário recomendado para um plano alimentar de um adulto normal (2000 kcal). Lembre-se que cada pessoa tem necessidades nutricionais diferentes e que por isso há quem necessite de mais ou menos nutrientes, consoante o seu estado nutricional. 5- Valor Energético: O valor energético é importante. Pode verificar entre dois alimentos, qual é que confere mais quilocalorias por 100 g. Contudo, há valores nutricionais bem mais importantes a

A privação da comida durante um período de tempo é um método que está hoje bastante presente em algumas dietas, mas afinal quais são os benefícios do jejum? Hoje venho escrever sobre o Jejum, não numa preservativa apologista a certas dietas alimentares, mas sim apenas para esclarecer quais são os seus benefícios e porque é que o pratico duas vezes durante o ano. Amanhã é um dia especial para a Igreja Católica, é a Quarta-feira de cinzas, o primeiro dia de 40 que perfazem a Quaresma, o período de preparação da Páscoa. Esta quarta-feira podia ser um dia como os outros, mas o facto de ser chamada de cinzas só por si torna-a especial. É um dia que a Igreja propõe a todos os católicos a “Lembrarem-se que são pó e que ao pó voltarão”. O que é que na prática significa? Perceber a fragilidade da condição humana, perceber o quão facilmente somos corrompidos por coisas alheias, sejam elas preguiça, luxos, maldades, mas também vícios que podem trazer consequências más para o nosso corpo e mente . Por isso neste dia, a Igreja Católica convida todos os católicos a jejum e abstinência não só física mas espiritual também – para limpar o corpo e alma! Está mais que provado que há benefícios neste jejum, a nível espiritual porque nos deixa mais abertos para as pessoas à nossa volta, mas também a nível físico porque limpa e renova o nosso organismo! Sendo eu Católica, decidi que poderia fazer uma pesquisa para vos mostrar alguns destes benefícios físicos que o jejum pode trazer quando praticado esporadicamente: 1- Queima de gordura: Quando jejuamos, os níveis de insulina descem e os níveis da hormona somatrotrofina (hormona do crescimento) aumentam, levando a uma maior oxidação de gordura. (Fontes: 1 ,2, 3) 2- Reparação Celular: Aquando em jejum as nossas células iniciam processos de reparação celular, levando, por exemplo, a uma regulação positiva da autofagia de neurónios- (Fonte: 4) 3- Expressão genética para proteção contra doenças: Há estudos que demonstram uma mudança benéfica na expressão de alguns genes e moléculas, relacionadas à longevidade e proteção contra doenças. (Fonte: 5, 6) 4- Resistência à Insulina: O jejum pode ajudar na redução da resistência à insulina, a hormona que baixa os níveis de açúcar do sangue. (Fonte: 7) 5- Stress oxidativo e processo de Inflamação: O jejum pode ajudar a reduzir o stress oxidativo e inflamação no organismo. Isto pode ser benéfico para a redução do processo de envelhecimento e para

Actividade física são todos os movimentos corporais que resultam num gasto energético. Hoje apresento-te 10 benefícios da atividade física. Com dois pais professores de educação física, este não podia deixar de ser um tema a apresentar-vos aqui pelo meu blog. Apresento assim 10 razões que te podem e devem motivar a praticar atividade física:   1- PESO SAUDÁVEL: Aliada a uma alimentação saudável, a prática de atividade física diminui a massa gorda e aumenta a massa magra, ajudando na obtenção de um peso saudável. 2- STRESS E ANSIEDADE: A prática de atividade física induz a libertação de endorfina, a hormona do bem-estar e do prazer, deixando o nosso corpo mais relaxado e ajudando a aliviar o stress e ansiedade do dia-a-dia. 3- ATIVIDADE CEREBRAL: Quando pratica atividade física o fluxo sanguíneo aumenta, levando mais energia e mais oxigénio a todo o lado, incluindo ao cérebro, o que resulta numa maior e melhor atividade cerebral. 4- SAÚDE ÓESSA: Praticar atividade física fortalece os ossos e diminui o risco de fraturas. 5- SISTEMA IMUNITÁRIO: A atividade física moderada reforça o nosso sistema imunitário, o sistema do nosso organismo que nos dá uma proteção contra doenças. 6- AÇÚCAR NO SANGUE: A prática de atividade física ajuda na prevenção e no tratamento da Diabetes tipo II, na medida em que aumenta a sensibilidade à insulina bem como promove a sua produção, que é a hormona que regula os níveis de açúcar no sangue. 7- COLESTEROL: Existem enzimas que ajudam no controlo dos níveis de colesterol no sangue, enzimas essas que são ativadas pela prática de atividade física. 8- TENSÃO ARTERIAL: A atividade física auxilia no controlo da pressão arterial, ajudando a diminuir a tensão arterial em pessoas que tenham Hipertensão, bem como ajuda na sua prevenção em pessoas predispostas a desenvolver a doença. 9- HUMOR, SONO, LÍBIDO E APETITE: A prática de exercício físico leva a um aumento de serotonina, uma hormona que tem várias funções no organismo, entres as quais regula o humor, o sono, a libido e o apetite. 10- AUTOCONFIANÇA: Por todos estes pontos, a prática de atividade física aumenta a autoconfiança, não só pela autoimagem positiva que o individuo acaba por ter, mas também pelo sentimento de otimismo que adquire face a desafios. Posto isto, vamos praticar atividade Física? Não te esqueças que, para praticares atividade física precisas de estar bem-nutrida, por isso deixo-te aqui sete ideias de sete snacks que podes fazer durante a semana para que tenhas energia para os teus treinos. Inspira-te